jusbrasil.com.br
15 de Setembro de 2019

Estratégia ótima de chute nas provas do Cespe

Eduqc Consultoria, Administrador
Publicado por Eduqc Consultoria
há 5 anos

Encontra-se fartamente na internet "estratégias" para melhorar o desempenho do candidato em concursos do Cespe (tipo Certo/Errado, com uma errada anulando uma certa). Há ainda quem defenda não chutar: "para não correr o risco de perder pontos".

Para ajudar o aluno, deixamos de lado a "opinião" e calculamos efetivamente qual a estratégia ótima de chute nas provas do cespe.

O melhor a se fazer é não deixar nada em branco!

Sim... Simples assim!


Estratgia tima de chute nas provas do Cespe


O racional (errado) de quem advoga por deixar questões em branco é o seguinte: "se faço apenas as questões que tenho mais certeza, aumento o meu percentual de acerto". A premissa está correta, mas a conclusão não.

Estratgia tima de chute nas provas do Cespe

O quadro acima mostra o percentual líquido de acerto em função do número de questões resolvidas (colunas) e de quanto o candidato sabe sobre a matéria (linhas). Naturalmente, quanto melhor o aluno (maior percentil) maior o índice de acertos. Quanto menor a quantidade de questões respondidas, maior o acerto, porque responde-se apenas aquelas em que se tem maior conhecimento.

O problema é que não adianta acertar mais disputando menos pontos! O segundo efeito sobrepõe-se ao primeiro. Na média, quem chuta mais sempre terá melhor resultado, independentemente do nível de conhecimento! Os resultados estão resumidos no quadro abaixo.

Estratgia tima de chute nas provas do Cespe

E porque isso acontece? Porque a sua chance de acertar no chute só é igual a 50% se você não souber exatamente nada sobre o assunto. Se tiver a mais vaga ideia, a probabilidade de acertar já é favorável. A figura abaixo ilustra essa situação.

Estratgia tima de chute nas provas do Cespe

Mas como eu devo chutar? Apenas marque o que você acha que é a resposta correta!

Partindo da premissa (correta) de que a prova é (+) 50% certa e 50% errada, alguns professores sugerem que se deve chutar de forma que o gabarito tenha esse perfil. Pontualmente, essa estratégia pode conduzir a bons (ou maus) resultados, mas na média, ela é inócua! Não há ganho real.

Variando o conhecimento do candidato, a dificuldade da prova e o número de questões respondidas, em mais de 1 milhão de simulações, não houve resultado significativo. Trata-se apenas de uma superstição.

Concluindo, a única lição que a estatística nos diz sobre estratégias de chute é a de que devemos responder todas as questões.

Cansado de acreditar na "opinião" de "especialistas"? Quer estudar com um viés quantitativo de verdade? Ter uma estimativa das suas chances de passar em diversos concursos e se comparar em cada disciplina?

Acesse gratuitamente: www.qualconcurso.com.br

Fonte

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Análise ruim, vocês não consideram as pontuações negativas que o CESPE/Unb utiliza. se o candidato souber mais ou menos 70% da matéria (o considerado "normal" em uma prova de concurso) e fizer 60% da prova, de acordo com a tabela acima a margem de acerto será de 45%. Considerando que as demais questões serão chutadas, o percentual de acerto será de 28%, o que dá um resultado final de 73% menos os erros, 27%, totaliza 46%. Ou seja, se o candidato chutar bem, de acordo com o percentual que ele sabe (chute consciente), seu percentual
de acerto será o mesmo que se não tiver chutado nenhuma.
Resumindo, está errada a análise por não considerar os pontos negativos. Se o candidato chutar muitas, tem mais chance de perder do que ganhar pontos. continuar lendo

Olá Mattheus, obrigado pelo comentário, mas a sua crítica não procede.

A tabela citada já apresenta o resultado líquido (veja a legenda), portanto, considera o desconto. Isso por si já anula sua interpretação.

O estudo considera provas de qualquer dificuldade, pessoas de qualquer proficiência. O resultado é monótono: o saldo do chute baseado no "best guess" é, em média, SEMPRE positivo. continuar lendo

Não entendi muito bem a planilha...
Por exemplo, se vc está no percentil 50%, vc acerta em média 75% das questões certo?
Assumindo uma prova de 100 questões, se vc faz 100% das questões, vc acerta 75 e erra 25. Assumindo que -1 pra cada ponto errado, 75 - 25 = 50, que da 50%. Indo uma coluna pra esquerda, se vc faz 90% das questões, descartando 10 questões, e assumindo que vc descartou as questões que vc erraria, vc continua errado 25, mas agora só 15 (25 - 10) conta como negativo, o que da 75 - 15 = 60.... o que está errado nesse pensamento? continuar lendo

Oi João!

O que está errado no seu raciocínio é que você não tem como descartar questões que erraria, porque você não tem essa informação a priori. O máximo que você consegue é descartar as 10 questões "mais difíceis", e mesmo isso é bastante complicado, especialmente para proficiências menores.

Bons estudos! continuar lendo

Oi,

Valeu pela resposta!
Entendi o seu ponto.
Mas continuo não entendendo como exatamente vc chega a 49,1%, por exemplo. O que vc está assumindo em relação a probabilidade da pessoa escolher a questão que erraria?

João continuar lendo