jusbrasil.com.br
19 de Dezembro de 2018

Seis dos 10 maiores salários do país são do funcionalismo público

Conheça as categorias mais bem pagas do país.

Eduqc Consultoria, Administrador
Publicado por Eduqc Consultoria
há 2 anos

Seis dos 10 maiores salrios do pas so do funcionalismo pblico

A faixa do funcionalismo público, conhecida como elite, está entre as dez categorias profissionais de maiores salários do Brasil. Juízes, procuradores, promotores, e até donos de cartório, os quais possuem concessão pública, fazem parte desta faixa.

Estas informações são frutos de um ranking cuja base de dados foi o relatório “Grandes Números”, divulgado pela Receita Federal que, por sua vez, utilizou as declarações do IRPF de 2015. O pesquisador responsável pelo resultado foi José Roberto Afonso (IBGE/FGV).

Recorde em ganhos

Encabeçando a lista das funções públicas mais bem pagas do Brasil, está o dono de cartório. Na verdade, a atividade flutua entre os setores público e privado, mas foi considerada como parte das funções estatais.

De acordo com dados colhidos das declarações IRPF 2015, o rendimento anual da categoria é de R$1,1 milhão. Um detalhe é que, uma faixa ainda mais rica da categoria, cerca de 9400 donos de cartório, acumularam, somados, aproximadamente R$11 bilhões no período.

Carreiras públicas típicas e bastante rentáveis

Ocupando o segundo, terceiro, quarto, sexto, sétimo e oitavo lugares na lista estão as carreiras típicas do funcionalismo público:

  • Promotores* e procuradores* do Ministério Público possuem uma renda média anual de quase R$530 mil.
  • Juízes* e outros integrantes dos tribunais de contas*, cerca de R$512 mil.
  • Diplomatas, R$332 mil anuais.

*essas funções recebem cerca de seis vezes mais que a média dos declarantes de IR do Brasil.

De acordo com o pesquisador, "a crise fiscal atual revela que o debate das dificuldades está concentrado no poder Executivo, enquanto os demais poderes seguem gerindo as suas folhas salariais e os seus orçamentos como se nenhuma crise estivesse ocorrendo no País. Reajustes fortes têm sido dados para essa elite do setor público, enquanto a imensa maioria dos servidores públicos não é tão beneficiada."

Três funções do setor privado fazem parte do ranking

Dentre as dez funções mais bem pagas do país, três são do setor privado, a saber:

  • Ocupando o quinto lugar estão os médicos, com rendimento médio anual de R$305 mil;
  • A nona posição ficou om os pilotos de avião, com rendimento médio anual de R$253 mil,
  • A 10ª posição está ocupada pelos atletas, com rendimento médio anual de R$219 mil.

A categoria mais bem paga, mas que ficou de fora da lista

José Roberto Afonso concluiu que a razão da ausência de uma categoria que figura entre as mais bem pagas, as dos empresários e executivos de alto escalão, é que parte dos ganhos da função enquadra-se como rendimento não tributável, como lucros e dividendos.

A pesquisa divulgou que mais de 700 mil integrantes da categoria chegam a ganhar R$ 214 bilhões que são isentos. Os outros recebem como pessoa jurídica e, por isso, as funções que compõem a categoria ficaram com o 30º lugar da lista, com um ganho médio anual de R$138 mil.

Afonso ainda ressalvou que presidentes de empresas multinacionais, donos de empresas menores e até o profissional contratado como empresa (que forma o cenário da “pejotização”), estão inclusos na categoria acima.

O QualConcurso é seu aliado na hora de estudar. Com ele, você consegue organizar o seu tempo de estudo pelas disciplinas que mais precisa se aplicar e ainda testa seus conhecimentos, constantemente, por meio dos Simulados oferecidos pela plataforma. Quer saber mais? Clique aqui para conhecer a nossa metodologia e baixar GRATUITAMENTE o e-book com os"4 passos para aprovação em concursos".

22 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Ainda que muitos discordem, gostaria de observar dois pontos que julgo interessantes. Primeiro, a lista é com base nos registros divulgados pela Receita Federal, no entanto, na área privada, receio que a Receita Federal não tenha a exata noção dos rendimentos de inúmeros indivíduos. Como dizia um antigo professor, tanto a esposa dele, quanto a Receita Federal, há anos querem saber qual o faturamento de seu escritório, mas essa informação é tão sigilosa, que nem ele sabe ao certo. O único fato real, é que todo ano algumas dezenas de cabeças de gado são enviadas para sua fazenda no MT. Segundo ponto, o ranking divulga a média das profissões, e como as carreiras públicas possuem pisos e tetos salariais, há certa "uniformização" de receitas, diferente da área privada, onde os profissionais vão "do céu ao inferno" em seus rendimentos. Mas como também dizia outro antigo professor, "para cada magistrado ganhando R$ 40 mil, existem pelo menos 10 advogados ganhando R$ 400 mil, e outros 4.000 ganhando R$ 4 mil". continuar lendo

Faltou apenas seu professor falar que, no funcionalismo público, para cada magistrado que ganha cerca de 28 mil (sim, este é o teto "oficial" da magistratura), existem cerca de 100 professores ganhando 1.300 ou menos no mesmo funcionalismo público. continuar lendo

Olá ,

no trecho "média anal" - que fica muito feio! - apesar da palavra também se referir "período de um ano", poderia ser escrito como "média anual" pra ficar mais bonito e tirar duplos sentidos. E como no resto do texto foi usado "média anual", acredito que foi um pequeno erro de digitação.

Abraços! continuar lendo

Mudou o mundo. continuar lendo

Leonardo, foi um erro de digitação mesmo. Obrigado por nos avisar. continuar lendo

Um dia, inevitavelmente, o País terá que rever a remuneração e o tratamento diferenciado dispensado aos funcionários públicos, em todos os Poderes. Jamais admiti tal situação que, além de injusta, sempre foi completamente incompatível com as condições econômica do País, com tendência a se agravar e tornar-se uma situação insustentável. continuar lendo

É um tema complexo e de difícil solução. Os magistrados, por exemplo, exercem uma função social grandiosíssima, que reflete de forma permanente e atemporal, em toda a coletividade. Se algum dia nossa sociedade tornar-se pacífica e harmoniosa ao ponto de tornar menos importante a figura do magistrado, certamente sua remuneração reduzirá, assim como ocorreu em diversos países. Mas, até que nossa sociedade consiga evoluir, creio que juízes, promotores, donos de cartórios, policiais federais, procuradores, e outros, continuarão possuindo essencial importância e grandes remunerações. continuar lendo

Felipe, mas sobre função social grandiosíssima, não seriam os professores e profissionais da educação também responsáveis por uma grande função que, se aplicada de forma correta, onde o profissional tenha estimulo e o estado dê o necessário, diminuiria inclusive a necessidade de magistrados, policiais, procuradores?
E mesmo assim, tais profissionais estão extremamente longe da remuneração de qualquer funcionário público do judiciário.
Só a termos de comparação, vamos pegar 2 cargos de ensino médio, um na educação estadual em São Paulo, e outro no judiciário federal, mas dentro do estado de São Paulo.

No cargo da educação, cujo único requisito é de ter o ensino médio completo, o salário base do funcionário público é de R$971,20 + vale transporte + vale alimentação de R$8,00 por dia trabalhado (chegando a um bruto mensal de R$1.147,26)

No cargo do judiciário, cujo único requisito também é de ter o ensino médio completo, o total bruto inicial é de R$6.818,15, que pode chegar a R$8.475,36 em 2018 devido ao reajuste dado ao judiciário no inicio deste ano. Sem qualquer reajuste previsto para a educação. continuar lendo

A matéria é capciosa assim como a Imprensa o é quando fala em questões fiscais, financeira e econômicas e se refere aos supostos causadores e que possuem altos salários e ajudas de todo gênero como sendo "os funcionários públicos, o funcionalismo público, os servidores públicos"...
Lato sensu até pode ser, mas o que querem e deveriam referir é aos "Agentes Políticos, às autoridades, enfim, ao Rei" e não à ralé, à plebe servidores...
O Brasil está precisando, melhor, já passou e muito da hora, e já faz mais de 400 anos, que precisa ser verdadeiro, ético, responsável, honesto, etc... A Imprensa e todos que produzem notícia e opinião precisam ter em mente suas responsabilidade pelo País, precisam ter as qualidades acima nominadas, além de ser claros, transparentes, etc...
O "Funcionalismo Público" mencionado e discriminado no texto, nada mais é do que uma casta, uma elite que comanda e administra todo o Estado, é como se fosse (m) o (s) rei (s) na Idade Média. continuar lendo